23 September 2012

Opinion | Desigualdade ou como uns têm Prada e outros têm nada



Não sou hipócrita nem fundamentalista. 
Sei bem que desigualdade há-de sempre existir. Não é algo propriamente novo, sequer.
Desde os tempos em que éramos meros recolectores, 
quem tinha o parceiro/pai mais forte, enchia mais a barriga, porque este era melhor caçador.
Chama-se selecção natural.
Por isso, seja porque tem mais sorte, ou trabalha mais, ou nasceu na família certa,
uma parte de nós pertence a uma fasquia mais alta da sociedade.
Outros, nunca terão essa hipótese.
Se é triste? É. 
Se não era possível que todos os seres humanos vivessem bem se a riqueza fosse distribuída? Provavelmente.

No entanto, a vida não é uma utopia!
Apontar o dedo aos "grandes" e culpá-los pela pobreza, não resolve nada.
Tirar aos ricos para dar aos pobres soa muito bem aos Robin Hoods do mundo, claro,
mas será mesmo a solução?
Sei que quem passa fome, quem não sabe como há-de alimentar os filhos, quem não tem emprego, grita que não é justo!
No entanto, a única coisa que temos direito de exigir aos que ganham mais, na minha opinião,
é que paguem os impostos sobre os seus lucros como toda a gente.
Se têm contas nas Filipinas, apertem com eles, vigiem-nos!
Mas não vamos maldizer todos aqueles que construíram ou herdaram impérios de milhões só porque sim!

Nenhum país deveria ter pessoas a passar fome. É um facto. 
Os mais fortes têm de separar um pouco do pão que ganham para ser partilhado por todos.
Afinal, é para isso que pagamos impostos. 
Não apenas para termos reforma, ou benefícios, ou direitos...
mas também para que quem tem mais dificuldades tenha subsídios de re-inserção, de alimentação, etc.
É nisso que assenta a sociedade!
Não obstante, evitem-se os abusos!
Retirar indiscriminadamente a quem trabalha e põe o país a mexer, não é justo!
Ver milhares de pessoas deitadas à sombra da bananeira apenas porque sim 
(excluo a maioria dos desempregados, aqueles que querem mesmo encontrar emprego, claro), 
enquanto outros trabalham e descontam, também não!
Afinal, até que ponto é que ceifar a classe média em busca de igualdade,
não acaba por criar, per se desigualdade?
Se uns trabalham e lhes tiram dinheiro, e outros não trabalham e só lhes dão...
(não falo de quem tem pleno direito aos subsídios, falo de quem trabalha mas não declara,
de quem finge estar separado para ter mais benefícios, 
de quem passou a juventude a passar droga e agora não arranja trabalho,
de quem desperdiça ofertas de emprego porque não quer sujeitar-se a isto ou aquilo...)

Posto tudo isto, proclamar "igualdade" alto e bom som, é perigoso!
O que nós queremos é uma sociedade minimamente nivelada...
em que nenhuma mãe tenha de ver o seu filho morrer-lhe de fome nos braços de...
onde sejamos solidários e ajudemos o próximo...
mas onde se dê responsabilidade e capacidade de gestão a todos...
onde não se esbanje o que se tem, rico ou pobre...
mais do que tudo, há que mudar mentalidades...
fugir ao fisco com um euro ou dois, não é grave...
mas se multiplicarmos por 10 milhões de pessoas, por 365 dias...vejam só o dinheiro que o Estado perdeu!
Não são só os "grandes" ou o governo que arruinam o país! Cada um de nós tem a sua culpa!

Desigualdade, não...Igualdade q.b. ...porque tudo o que é demais...é erro!

12 comments:

  1. " Posto tudo isto, proclamar "igualdade" alto e bom som, é perigoso!
    O que nós queremos é uma sociedade minimamente nivelada..."

    não podia estar mais de acordo contigo!
    muito bom texto.

    beijinho

    ReplyDelete
  2. Gostei muito do teu texto mas, ao contrário de ti, acho que os mais ricos deviam, sim, fazer alguma coisa para ajudar os mais necessitados (e não me refiro apenas ao pagamento de um imposto especial sobre a riqueza). Acho muito triste acontecerem coisas como a desta foto, em que a riqueza, o luxo, a sumptuosidade e o exibicionismo reinam, ignorando a miséria que se sente mesmo ali ao lado. Algo que me incomodou muito foi ver, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, sem-abrigos a "viver" mesmo ao lado de grandes lojas como a Fashion Clinic e a Carolina Herrera.
    É um mundo muito muito injusto e repleto de desigualdades a todos os níveis possíveis, não deveria ser assim, mas, infelizmente, nunca vai mudar.

    ReplyDelete
  3. That made my heart drop in so many ways, this is so amazing. Your blog is true quality - in love love love

    thedeathlyfashion.blogspot.com

    ReplyDelete
  4. Adorei o post linda, e bem verdade,muito infelizmente!!


    http://www.bitsnpieces.me/2012/09/emmys-2012.html

    ReplyDelete
  5. Gostei muito de ler este teu post. Gosto de ver que estas coisas também te interessam, só me faz aumentar o respeito que te tenho como ser humano, independentemente de concordar ou não com o que aqui dizes. SOu mais radical do que tu, muito mais, e por isso há um certo numero de pontos dos quais discordo, mas gosto mesmo muito de ver que pensas pela tua cabeça, que tens ideias e opiniões e não tens pejo de as expôr.
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.com

    ReplyDelete
  6. excelente discurso...irrita me aquelas pessoas que criticam quem tem!

    ReplyDelete
  7. Está muito bem escrito e tem todas as ideias essenciais.
    «No entanto, a única coisa que temos direito de exigir aos que ganham mais, na minha opinião,
    é que paguem os impostos sobre os seus lucros como toda a gente.»
    Com isto concordo plenamente!

    Mas uma coisa é certa filhos de pais ricos, na maior parte das vezes, tem tudo de mão beijada - os pais fartaram-se de trabalhar para reunir todo aquele dinheiro, sofreram na pele; enquanto os filhos já não, os pais dão quase tudo o que os filhos pedem, filhos que nunca receberam um não quando quiseram um jogo novo, ou que não receberam um 'não' quando quiseram ir fazer uma viagem com os amigos porque o dinheiro preciso para a viagem não fazia falta para pagar a prestação da casa!
    São filhos que acabam por não ter noção que é preciso trabalhar, que depois quando finalmente largam as barbas dos pais ficam amuados quando recebem ou não ou quando as coisas não correm como eles queriam..

    ReplyDelete
  8. Concordo em parte contigo, mas sou bastante mais radical! Proclamo em certa medida a igualdade, porque todos nascemos da mesma forma e todos nós temos o mesmo destino, assim penso que a nenhum ser humano deveria ser retirada a sua dignidade, nenhum ser humano deveria passar por dificuldades económicas, enquanto outros esbanjam dinheiro em luxos, indiferentes a tudo resto, à fome, à doença e à decadência! Os impostos esses não acho que deveriam ser equitativos, pois uns ganham milhões e milhões e mesmo ganhando milhões ainda recorrem a off-shores e fugas fiscais. Acho que as leis deveriam ser muito mais severas nesse ponto, só aí o mundo tornava-se num lugar bem melhor! Que diferença faz uns milhões a quem tem biliões!? Por outro lado, se esses mesmo milhões fossem bem distribuídos poderiam fazer uma grande diferença em muitas famílias! A classe que mais paga (em proporção) é a classe média que cada vez mais é diminuta, porque cada vez há mais desemprego, logo à menos contribuintes a pagarem impostos, logo a classe trabalhadora ainda tem mais carga fiscal.. isto é um ciclo vicioso sem fim! Todos nós temos a nossa quota parte, isso é verdade, mas acho que existe uma muita má gestão neste país! Também há por aí muita boa gente, que prefere ficar em casa a receber o subsídio de desemprego do que procurar emprego, isso é verdade! Deveriam por a mão na consciência, pois o Estado não é pai de ninguém, mas sim um mero gestor e distribuidor! Mas também há por aí muitos milionários, cuja ganancia não tem precedentes, não olham a meios para atingir fins, enquanto outros passam fome e não têm dinheiro para pagar a renda. É triste, muito triste! A corrupção e os favores aos amigos são muito mais prejudiciais do que fugas fiscais de um dois euros por dia! Apesar de proclamar de certa forma mais igualdade, também não sou assim tão radical! Países como Suécia, Austrália, Finlândia, entre outros têm uma qualidade de vida muita boa para os seus cidadãos, no entanto, nenhum deles caiu em extremismos! Acho que a gestão correcta do dinheiro do Estado é o mais importante! Mas é só mesmo a minha opinião, não me leves a mal :) Louvo-te por fazeres um post destes e expores a tua opinião! É bom ler algo assim na blogosfera ;) e desculpa o testamento :p


    beijinhos,
    Joana.

    ReplyDelete
  9. É um assunto que me cansa a alma, sou-te sincero. Revolta-me muito ver tanta pobreza num mundo que podia ser tão rico...

    ReplyDelete
  10. Revolta-me ver pessoas que se nota que tem muito dinheiro, passarem por um sem abrigo e nem olharem e o certo é que existe.
    Há pessoas que só são capazes de olhar para os seus sapatos de marca e para as suas candy bag e não tem capacidade ou maturidade para olhar para os outros! ***

    ReplyDelete
  11. Gostei muito do teu post e concordo contigo! Tenho imensa pena que a nossa sociedade não seja mais solidária e menos individualista, e todos podiamos viver mais felizes!!

    xx

    ReplyDelete
  12. este texto está simplesmente fantástico! claramente veio do fundo do coracao, parabéns!

    ReplyDelete

Partilha o que pensas e não te acanhes! ;)
Se fizeres alguma questão directa, eu responderei no post! Para receberes um aviso com a resposta basta clicares em "subscribe by email".

Se preferires, podes contactar-me por e-mail (myfashioninsiderblog@gmail.com) ou através da página do Facebook (sou mais rápida)!

P.S. Aqui há espaço para críticas, mas insultos, ataques pessoais e demais despropósitos não serão publicados!

ShareThis