22 December 2012

Opinion | Fake it



Numa sociedade obcecada pela perfeição, não é de estranhar que se tente esticar a realidade e fingir uma ou outra coisa.
Mas se há coisa que não consigo perceber são os exageros, a comercialização excessiva do falso...
Falo, entre outros exemplos, da profusão de soutiens hiper push-up, de cuecas com glúteos incorporados, de pestanas falsas de 100m...
A indústria e o marketing parecem determinados em fazer-nos crer que bom bom, é acordar de manhã,
colocar não sei quantas máscaras, fingir que tenho a pele perfeitíssima, que tenho mamas XXL e um rabo de brasileira...
para depois chegar a casa, despir aquilo tudo e voltar a ser simplesmente eu!
Não sei se sou apenas eu que tenho a mania de que devíamos fazer de tudo para nos sentirmos bem com o que temos,
mas isto parece-me uma afronta enorme a qualquer auto-estima!
Quando estou vestida sou uma coisa, tiro a roupa e torno-me noutra?!
Serei a única a ver o quanto a sociedade nos está a pressionar a ser de uma determinada forma,
e nós engolimos, satisfeitas por, pelo menos durante umas horas, sermos (mais) perfeitas aos seus olhos?!

Atenção! Não tenho nada contra maquilhagem (vocês sabem bem que uso!), nem contra soutiens mais favorecedores...
o que me faz confusão é o facto das pessoas terem necessidade de "enganar" a sociedade para se sentirem aceites!
Gostava que VERDADEIRAMENTE se aprendesse a aceitar cada um como é!
Sou utópica e sonhadora, mas gostava que o facto de alguém ter 86-60-86 fosse o mesmo que ser divertida ou teimosa...
simplesmente uma característica como outra qualquer...não um objectivo que todas devêssemos ter!

Há uma nuance que tenho de referir:
NÃO sou contra a cirurgia plástica, desde que feita conscientemente e pelos motivos certos!
Por isso, não estou aqui a atacar (longe de mim!!!) quem usa um soutien com enchumaços,
nem quem gostava de ter mais um pouco de rabiosque e compra os jeans push-up da Salsa!
É natural ter as nossas inseguranças e tentar realçar ou aumentar/diminuir aquilo que já temos...
Aqui falo dos extremos! Daquelas situações em que a pessoa que transmitimos ser, é completamente diferente daquilo que somos!
E do quão triste isso é...porque desde novas que somos praticamente coagidas a pôr papel higiénico no peito,
ou a andar de rabo para fora para sermos cool e hot!
Eu, pelo menos, lembro-me de assistir a isto!
E se, por um lado não passam de parvoíces de adolescente, 
por outro esta crescente tendência de "falsear" o que temos, leva-me a crer que, 
quando crescemos, estas "parvoíces" tomam contornos diferentes...mas mantêm-se!
Continuamos a achar que é melhor ter uma copa maior do que uma pequena,
continuam a plantar-nos na mente a ideia de que um rabo arrebitado, é melhor do que não o ter,
continuamos a ser julgadas pela aparência, dia após dia.
Se vai acabar? Não. 
Mas que me dá uma certa raiva? Sim, oh sim!
Porque o que gostava mesmo era que o mundo pudesse ter acabado ontem e tivesse renascido para abraçar todos os tipos de corpo...e que o "bonito" e o "feio" fossem meras palavras...

14 comments:

  1. Li com atenção tudo o que escreveste e concordo com tudo. Vivemos numa sociedade em que se valoriza mais o exterior do que as características psicológicas que nos tornam únicas.
    É normal tentarmos esconder um ou outro "defeito" mas precisamos aprender a gostar de nós mesmas :)
    Beijinho

    ReplyDelete
  2. concordo!

    estou a seguir, beijinho ;)

    http://thoughts-ofthe-soul.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  3. Sinceramente acho que isso e passa um bocado com as estrelas "celebreties" tipo Kim Kardashian e afins, aliás na série vemos várias vezes a família a recorrer a cirurgias estéticas. O flagrante chega a ser a Kris Jenner à 25 anos ter colocado uns implantes e agora tirá-los porque são simplesmente muito grandes e já não se usa. Portanto o corpo "esculpe-se" como uma moda?! WTF? Ridículo não é? Mas eu própria sempre tive um conceito do que era beleza e podia não passar por imensas coisas como maquilhagem, pestanas falsas etc, mas chegava ao cumulo de desejar ter menos isto ou ter mais aquilo, ou ter olhos de cor x e cabelo assim...
    Acho este tema um pau de dois bicos.
    O ideal seria o equilíbrio, mas de alguma forma, por alguma razão exterior a nós, estamos quase sempre descontentes com o nosso corpo. Lá está, é-nos colocada desde crianças imagens de coisas diferentes de "nós" e essas é que nos parecem bonitas porque tudo nelas parece de sonho e depois vivemos nesse desejo angustiante...blah, blah, blah

    Espero que tenhas percebido a minha linha de raciocínio meio maluca!

    We Agree to Disagree
    ***

    ReplyDelete
  4. Concordo completamente, que bem!

    ReplyDelete

  5. De acordo.
    Exageros, nunca.
    Gosto do que escreve.
    Parabéns.

    ReplyDelete
  6. Concordo, tenho 15 anos e todas as marcas e isso já me fizeram o favor de deixar bem claro de que o meu corpo, cara, olhos, cabelo, etc. não são perfeitos. Eu sei disso, sei que não sou perfeita, aliás, ninguém o é! Mas aprendi a viver com aquilo que me foi dado e a não desgostar tanto de mim. Ainda tenho, pelo menos, mais 70 anos para viver, vou vivê-los a odiar o meu corpo?! Hell no!! Claro que preferia ser mais magra, eu esforço-me para isso, mas não vou a correr para um cirurgião para me tirar a "banha" que está a mais!
    Acho que cada um tem de aprender a gostar de si mesmo, sejam quais forem os padrões da sociedade! E o exemplo que deste, de sermos pessoas diferentes quando estamos na rua e quando estamos em casa, é muito visível nas pessoas da minha idade... Se víssemos a mesma pessoa na rua e em sua casa, não reconheceríamos... Mas pronto, cada um age como quer!

    ReplyDelete
  7. Gostava imenso que o mundo não fosse assim...

    ReplyDelete
  8. Concordo a 100%! E já me martirizei imenso à conta de todos esses "critérios de perfeição" que nos são impostos desde miúdas. A pressão é horrível, e sei que, se a certo ponto da minha vida não tivesse mudado de companhias, hoje seria muito mais fraca e muito menos confiante do que a mulher em que acabei por me tornar - e não sou nenhum poço de confiança, tenho as minhas inseguranças, mas não vivo atormentada com isso...

    O pior é quando nós nos tornamos "a sociedade" que criticamos, inconscientemente, porque já está tudo incutido na nossa cabeça - é tempo de contrariar as marcas e as máscaras, pelo bem de tod@s!

    ReplyDelete
  9. Concordo com o que dizes, mas estás a ver as coisas da perspectiva de quem é magra.... Ainda há uns dias atrás vi uma conversa no facebook em que diziam que ter rabo e peito volumoso (o que é o meu caso e por isso me chamou a atenção) era o equivalente a ser gorda e desproporcional. As pessoas falam muito e não se coíbem de magoar seja quem for porque simplesmente não tem as medidas que a sociedade impõe.
    Cansa mesmo....

    ReplyDelete
  10. Quem quiser as minhas mamas gigantes e o meu rabo de brazuca. esteja á vontade. Eu seria bem feliz com um 32A e sem rabo... ahahahah!!
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.pt

    ReplyDelete
  11. Ufa! até que em fim que não leio um post a dar conselhos sobre batidos de alface para fazer detox a seguir ao Natal...e a queixar-se que está gordissima! Agrrr...
    Concordo contigo, até porque o conceito de beleza não é estanque, o que é bonito hoje, já foi considerado horrível outrora...
    Eu sou uma apaixonada pela beleza, moda mas , há limites!
    Bom post!
    bj e bom ano
    http://girlswithorwithoutbangs.blogspot.pt/

    ReplyDelete

Partilha o que pensas e não te acanhes! ;)
Se fizeres alguma questão directa, eu responderei no post! Para receberes um aviso com a resposta basta clicares em "subscribe by email".

Se preferires, podes contactar-me por e-mail (myfashioninsiderblog@gmail.com) ou através da página do Facebook (sou mais rápida)!

P.S. Aqui há espaço para críticas, mas insultos, ataques pessoais e demais despropósitos não serão publicados!

ShareThis