23 May 2013

Opinion | Sim, tenho 2 pais...so what?



Foi com bastante alegria que recebi a notícia da aprovação da co-adopção para casais do mesmo sexo!
Li na íntegra o Projecto de Lei do PS e bati palmas! 
A forma como descreveram o problema de não permitir a adopção ou co-adopção foi muito inteligente e sem dúvida verdadeira!

Grosso modo, se duas pessoas do mesmo sexo estiverem casadas ou viverem em união de facto,
e uma delas estiver relacionada com um menor (sendo filho biológico ou adoptado), 
o outro elemento do casal poderá co-adoptar a criança, podendo dar-lhe o seu nome e ser seu pai/mãe em termos legais!
Não é o ideal, já que o passo derradeiro seria permitir a "verdadeira" adopção por um casal homossexual, mas já estamos no caminho de uma maior justiça e coerência!

Já há muitos anos que esta questão me vinha a importunar...
Lembro-me de, numa aula de Português, com 15 anos, estarmos a discutir esta mesma questão
(adorava as aulas desta disciplina com aquela professora, que fomentava discussões de temas da actualidade!),
e de eu defender que bem melhor do que uma criança passar toda a infância numa instituição ou com um casal heterossexual disfuncional,
seria poder receber o amor de duas pessoas, independentemente da sua orientação sexual.
Na altura, a minha professora mostrou-se contra. 
No início, fiquei chocada, porque ela tinha sempre ideias muito liberais...até que ela explicou que concordava com o que eu dizia...
mas que achava que a sociedade portuguesa não estava pronta para essa realidade.
Não sei se agora está...mas o que é certo é que já há famílias assim constituídas, com dois pais e duas mães,
e não se provou que fossem disfuncionais, ou que as crianças se importassem com isso!

Se esta realidade existe - e não há como negá-lo - a lei permanecia obsoleta, fazendo orelhas moucas a uma circunstância inevitável...e natural!
Permitia, inclusive que, ocorrendo a morte do progenitor "legítimo", 
a criança pudesse ser arrancada ao seu outro pai/mãe, que, na realidade, não tinha vínculo jurídico com ela!
Uma atrocidade de todo o tamanho, de facto!
Assim, a co-adopção protegerá essas famílias e, sobretudo, 
essas crianças que não têm culpa que nesta sociedade o preconceito contra homossexualidade se mantenha!
Penso que será uma questão de tempo até todas as desigualdades se diluírem!
Mas, para já, que haja iniciativas politico-sociais para minimizar as injustiças e os moralismos de outrora!

Quanto às tristes opiniões que fui lendo sobre o assunto...mostrem-me os estudos que provam que filhos de um casal homossexual têm distúrbios de personalidade, alterações da sexualidade ou que são,
de alguma forma, diferentes dos vossos em termos de desenvolvimento social e emocional...
e depois falamos, okay?

Até lá, que se dê um lar a crianças que precisam de amor e carinho...independentemente dos órgãos sexuais dos pais.

12 comments:

  1. Precisamente! subscrevo e para mim, esta questão é tão óbvia nem devia ter que ir a discussão parlamentar.

    ReplyDelete
  2. subscrevo nem deveria haver nenhuma discussão, se as crianças podem ser criadas pelos avos, tios, madrinhas, ate pelas instituições pk nao pode ser criada por dois homens ou duas mulheres?

    ReplyDelete
  3. eu sou completamente a favor também! numa aula de filosofia no meu 11º fizemos um debate cujo tema era esse mesmo e foi sugerido por mim.. simplesmente ainda não consigo perceber porque que há tanta gente contra ainda e muitos deles ainda da 'nossa geração'..

    ReplyDelete
  4. Concordo totalmente contigo. O que mais custa nestas situações não é o amor da família que acolhe a criança, mas sim a falta de se saber amar tudo e todos na sociedade que vivemos. *

    ReplyDelete
  5. Faço tuas as minhas palavras!!!

    Http://styleveandsushi.blogspot.com

    ReplyDelete
  6. I have many gay friends! And i would love for them to have the same rights as i do. Love is Love no matter what age or gender. They should have the right to be married and start a family :) xx

    -Mitzee

    factshionista.blogspot.com

    ReplyDelete
  7. E são de pessoas assim que o nosso país precisa!

    ReplyDelete
  8. Pois que já devia ter acontecido há mais tempo, digo eu. Ainda outro dia expus a injustiça da não alteração da lei perante o meu marido com o seguinte exemplo: duas mulheres, casadas uma com a outra, dirigem-se a um outro país que não o nosso para engravidarem. Fecundam o óvulo da mulher A e este é implantado na mulher B, que carrega a gravidez durante 9 meses e consequentemente dá á luz um bébé num qualquer hospital de Portugal. Vão registar a criança, como é que é? Nasceu do corpo da senhora B, portanto é ela que é a mãe? Mas genéticamente veio do óvulo da senhora A, e se fizerem um teste de maternidade - se é que os há - é a senhora A que é a mãe? Ou a desgraçada da criança cai num limbo gigantesco e fica ...filha de ninguém? As pessoas precisam mesmo de mudar as mentalidades. E infelizmente não é só nisto, cada vez mais acho que as pessoas têm cabecinhas tão bacocas e tão falhas, são tão assustadoras na sua pequenez... é uma lufada de ar fresco quando aparece alguém com uma mentalidade diferente.
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  9. Eu acho que a lei já devia ter sido aprovada há mais tempo.
    Quando aprovaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo deviam ter aprovado a co-adopção e a adopção por casais homossexuais.
    Portugal tem um problema grave : está infestado de velhos do restelo que tentam bloquear todo o tipo de ideias, direitos que não sigam o padrão tradicional - por essas e por outras é que estamos no buraco que estamos.

    Eu acho que desde que a criança seja criada com amor, tanto faz se que ela seja criada por um pai e uma mãe, dois pais, duas mães, um pai sozinho, uma mãe sozinha.
    Um beijinho grande*

    ReplyDelete
  10. Adoro o argumento de que "a sociedade não está preparada", como se "a sociedade" fosse uma qualquer entidade sobrenatural cujos desígnios nos ditam as escolhas. A sociedade somos nós e cabe a cada um de nós, enquanto pais, educadores, cidadãos, tornar realidade tidas até agora como anormais como igualinhas às outras: boas, más, assim-assim, e por ai fora.
    (Melhor do que o argumento da "sociedade" só o que diz que isto é "anti-natura". Como se os sapatos e os óculos e os carros e as casas e os computadores e os clips nascessem da terra... Santa paciência!!

    Excelente post! (porque um blogue não tem de ser só de moda ou de beleza ou de opinião; pode ser tudo isso.)
    Beijinhos.

    ReplyDelete
  11. Adorei o teu post! Concordo plenamente contigo.

    ReplyDelete
  12. Ora nem mais!!!!

    http://dreamsandbutterfliesgossip.blogspot.pt/

    ReplyDelete

Partilha o que pensas e não te acanhes! ;)
Se fizeres alguma questão directa, eu responderei no post! Para receberes um aviso com a resposta basta clicares em "subscribe by email".

Se preferires, podes contactar-me por e-mail (myfashioninsiderblog@gmail.com) ou através da página do Facebook (sou mais rápida)!

P.S. Aqui há espaço para críticas, mas insultos, ataques pessoais e demais despropósitos não serão publicados!

ShareThis